De volta ao topo

Para inspirar: o que eu vi na MEDICA, a maior feira de produtos médicos e hospitalares que acontece na Alemanha

A convite da minha amiga Priscila Nunes, participei da MEDICA 2019, a maior feira de produtos médicos e hospitalares do mundo.
O evento, que aconteceu em Novembro de 2019 em Dusseldorf-Alemanha, reuniu cerca de 125 mil pessoas e 5.500 expositores que vieram de mais de 170 países. Eu nunca tinha ido em algo tão grande assim (dias antes tinha ido na WebSummit e já tinha ficado “chocada” com a quantidade de informações, coisas, pessoas – e eram “só” 60 mil pessoas).
Mas ok. O maior propósito de uma feira dessas é promover novos negócios, fomentar trocas entre empresas internacionais e, principalmente, ser palco de apresentação das principais apostas e inovações da área.
E durante os intensos 4 dias de evento lá estava eu, em contato com produtores, distribuidores e profissionais que atuam na área da saúde e que aspiram encontrar e desenvolver soluções para mudar a vida dos pacientes e melhorar os cuidados com a saúde.
É lá que está o novo. Entre as categorias de produtos apresentadas, destaco os relacionados com tecnologia: diversas startups de saúde digital apresentavam seus aplicativos, wearables e dispositivos móveis, o que sinaliza que a transformação digital já é realidade em muitos países e se tornará parte da nossa vida cotidiana em um futuro próximo. Principalmente no momento quarentena e pós-quarentena.

 

A seguir, listo alguns dos principais highlights que observei sobre a MEDICA 2019.

A tecnologia a favor da saúde 

Diversas empresas apresentaram produtos wearables (tecnologias vestíveis) ou dispositivos móveis que prometem revolucionar a medicina em termos de prevenção, diagnóstico e tratamento.
A Butterfly é um dispositivo de ultrassom que funciona com tablets e smartphones e promete o diagnóstico rápido e barato, de forma simples e acessível. Enquanto um equipamento tradicional custa U$10 a U$200mil dólares e necessita de todo um complexo sistema para operar, este custa U$2.000.
Outros exemplos: Spectro-Scope, auxilia no diagnóstico de câncer de pele e o Fizimed, que auxilia no tratamento e prevenção de problemas de incontinência urinária feminina.

 

A presença marcante de empresas e profissionais brasileiros

Fiquei muito entusiasmada em encontrar tantos brasileiros na MEDICA Fair 2019. Somos um país com muito potencial e muitas mentes criativas para desenvolver novas soluções para a área da saúde. O stand do Brasil era um dos que mais chamava a atenção de quem passava por lá. Tive o prazer em encontrar profissionais da APEX, ABIMO, Brazilian Health Devices, do Cluster of Technologies for Health BR-Brasil e do SEBRAE-RS.

Medicina cada vez mais personalizada

Muitas das tecnologias de saúde apresentadas utilizam de recursos de Inteligência Artificial / machine-learning / deep learning. Por mais complexo que este assunto pareça, em resumo, estes conceitos significam que as tecnologias “aprendem” na medida que novos dados são inseridos.
A união e uso desses dados de forma integrada poderá traçar não apenas um panorama individual do paciente – e promover uma medicina cada vez mais personalizada, mas também, poderá ainda detectar padrões e gerar mais conhecimento por parte dos profissionais da saúde, transformando todo o sistema que conhecemos hoje – em todas as áreas e especialidades.
Claro, partimos aqui do pressuposto que estes dados sejam utilizados de forma ética e para uso da melhoria. (A preocupação em segurança de dados vem ganhando popularidade nos últimos tempos).

 

A telemedicina e a nova era para a medicina

Diversos exibidores internacionais, como a italiana Exprivia, apresentaram tecnologias para implementação da telemedicina ou “e-health” / “e-medicine”, que são os atendimentos remotos entre pacientes e os profissionais de saúde. Veja a lista completa das “e-health” de telemedicina aqui. A extensa lista de países fundamentalmente europeus demonstra o quão avançados a Europa está neste quesito.

 

A preocupação com o bem-estar de idosos

Com todo o movimento de inovação na saúde com o propósito de prevenção, a tendência é que daqui pra frente vivamos por muito mais tempo – o que significa muito mais idosos, e uma demanda maior por novos produtos e serviços para atender a esta realidade.
Robôs como o Temi, da Medisana, já estão sendo utilizados em cuidados domiciliares de idosos. Com a forma de um tablet com rodas, ele lembra os usuários de tomarem seus remédios a tempo, por exemplo, auxiliando a cuidar da saúde dos pacientes, e também no acompanhamento dos parentes e profissionais que estão longe.

A preocupação com sustentabilidade

Produtos médicos modernos e inovadores  – de ataduras a luvas cirúrgicas, apresentavam discursos com foco em sustentabilidade e reciclagem ecológica como seus principais diferenciais. Agora, é acompanhar se efetivamente o que é falado será efetivado.

 

Se inspirar faz parte de qualquer negócio. E quando voltei me entristeceu o fato de que pouquíssimos médicos e profissionais da saúde saibam da existência da MEDICA.

Vejo que não é prática comum dos profissionais da saúde sairem pra ver sobre coisas que não sejam específicas das suas rotinas, como congressos, etc.

Então, em 2020, super indico ir.

 

*Imagem do site Wearables Technologies.

Leave a comment:

Follow me
Search